Crise na Venezuela pode impactar suas operações no Brasil?

Fevereiro | 2019

Diversos fatos contribuíram para a atual crise política, econômica e social venezuelana, agravada com a recusa de diversos países em reconhecer a legitimidade do segundo mandato presidencial de Nicolás Maduro e a auto declaração de Juan Guaidó como presidente interino.

Guaidó, membro fundador do partido Vontade Popular, teve sua declaração reconhecida por uma série de países, mas Maduro conta com o apoio dos militares, que denunciam um "golpe de estado", e de aliados como Rússia, China, Cuba, Bolívia e México.

A Venezuela atravessa uma crescente crise política, econômica e social, que dura mais de 15 anos e os resultados são lastimáveis: um êxodo cada vez maior de venezuelanos por falta de itens básicos para a população, agravamento de doenças, aumento de violência, entre outros.

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), em agosto de 2018 houve um pico de aproximadamente 18 mil pessoas deixando a Venezuela por dia e a previsão é de que até o fim de 2019 haverá 5,3 milhões de migrantes e refugiados venezuelanos.

Com a situação extrema que a Venezuela se encontra, diversos países, incluindo o Brasil, tentaram enviar itens e guarnições para a população venezuelana após solicitação do Juan Guaidó. Essa ajuda humanitária não saiu como planejado, uma vez que Maduro deu ordem para que a fronteira fosse fechada por tempo indeterminado, recusando ajuda dos países que não fazem parte de seus aliados.

O governador de Roraima, Antônio Denarium (PSL), afirmou recentemente que cidades do estado podem ter falta de energia, uma vez que grande parte da sua energia consumida é produzida na Venezuela, afetando diretamente diversos segmentos corporativos e podendo paralisar suas atividades.  

Outro fator em xeque está relacionado à exportação, uma vez que em 2017 a exportação do Brasil à Venezuela caiu 63% segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, chegando ao nível mais baixo em mais de 20 anos e em 2018 o resultado não foi muito melhor

No setor de carnes, produto que passou a ser um luxo na Venezuela, a queda nas vendas brasileiras foi de mais de 80%. A exportação de minério também diminuiu mais de 70% e produtos farmacêuticos tiveram contração de 87%. Materiais de transporte registraram quedas de 93%. 

A situação da Venezuela interfere no fluxo comercial de exportadores brasileiros e não pode ser deixada de lado pelos gestores de Riscos das empresas. A interconectividade entre os riscos também é essencial uma vez que Risco político, Riscos operacionais, Riscos estratégicos, Riscos financeiros, entre outros podem estar envolvidos.

Conheça o software INTERISK e faça a análise dos riscos de forma estruturada, com todas as disciplinas de riscos corporativos integradas e visualize os resultados de maneira clara e precisa -> Clique Aqui

Nossas redes sociais
Brasiliano INTERISK
Contato

Rua Barão de Jaceguai, 1768 - Campo Belo
São Paulo - SP - CEP: 04606-004

  • Facebook - Grey Circle
  • LinkedIn - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle